quarta-feira, 29 de julho de 2009

Crítica de Suicidas


Segue abaixo uma crítica do meu livro Suicidas, escrita pela Lilian em seu blog Livros, Bate-Papo & Cia. O link do blog é esse: http://livrosbatepapo.blogspot.com/


Lá vai:


"Hoje farei uma resenha diferente...
Vou falar de um livro que (ainda) não existe! Não, eu não fiquei louca: o livro de hoje é Suicidas, ainda não publicado e escrito por Raphael Montes, um amigo recém encontrado na comunidade Amantes do Romance Policial, no Orkut.
Não sou muito experimentada na leitura do gênero, mas geralmente os romances policias seguem, digamos assim, uma fórmula ou estrutura: ora o detetive inteligente que tira suas conclusões de acordo com os fatos, ora o policial durão e sofrido que luta para desvendar o crime. Em linhas bastante gerais, é isso. (Quem for mais experiente do que eu na leitura de romances policiais e não concordar, por favor se manifeste!)
Suicidas, porém, foge a todas essas fórmulas mais ou menos conhecidas. Intriga porque não revela logo a que veio, porque não apresenta nenhum detetive de cara, e acima de tudo, porque é um romance policial sem ter a mínima pinta de um - pelo menos no começo!
Nove jovens são encontrados mortos no porão da casa de campo que pertencia aos pais de Zak, que fazia parte do grupo. Todos cometeram suicídio. Bem-nascidos, universitários, o tipo de pessoa que o senso comum diria que "tem tudo pela frente". O que os teria levado a participar daquela roleta-russa?
Para tentar encontrar uma resposta, a psiquiatra que colabora para o caso reúne as mães das vítimas para a leitura das anotações que foram encontradas no local dos suicídios e que seriam de um livro que Alessandro (um dos jovens mortos e melhor amigo de Zak) escreveu durante os acontecimentos no porão. Discutindo essas anotações, a psiquiatra espera chegar a alguma coisa que leve à solução do (ou dos) enigma(s).
Alternando entre os registros da reunião e as anotações de Alessandro, a história vai nos levando a uma crescente incógnita. Eu confesso que não conseguia formular nenhuma teoria sobre o que motivou a roleta-russa no porão, sobre o final, sobre nada! A grande questão que pairava em minha mente era: "Aonde o autor quer chegar? Pra onde vai essa história?" E também não conseguia deixar de querer ler tudo - e logo!
Raphael constrói personagens absolutamente amorais e imprevisíveis. Nada do que você imagina ser o final chega perto de ser o que é. A cada capítulo, um novo elemento vai sendo revelado sem que o leitor consiga encaixar as peças no grande quebra-cabeças que é Suicidas. Forte. Chocante. Bem escrito. Surpreendente!
Raphael é um talento que merece ser revelado ao público leitor brasileiro e, acima de tudo, que merece ser publicado. Espero que alguma editora perceba isso em breve e trate de trazer seu romance à luz! Enquanto isso, deixo vocês todos, meus queridos leitores, morrendo de curiosidade. Suicidas é muito bom!"

5 comentários:

  1. Por isso é bom ser amigo de escritores, a gente lê antes do grande público o que eles escrevem =)

    Estou lendo o Suicidas e gostando muito. Tenho uma teoria maluca sobre o final. Vamos aguardar.

    ResponderExcluir
  2. um dia tu fica famoso. e se esquece de tudo.

    ResponderExcluir
  3. Josué,

    eu quero saber que teoria maluca é essa! Hahaha
    e duvido que chegue perto do que realmente é. não que duvide de vc, mas é pq pelo menos a mim, surpreendeu! ^^

    ei, menino Raphael, brigada pelo link!o/

    ResponderExcluir
  4. Faltam cinco páginas pra mim terminar. O filho da mãe não me passou o último capítulo.

    Raphael, te odeio. Aparece. Anda. Aparece.

    ResponderExcluir
  5. Meu Deus, tô simplesmente louco para ler esse livro, sonhando com as letras. A critica é Excelente, Parece ser um suspense Irresistivel. Eu quero MUITO ler.
    Por favor, te imploro, Raphael manda um link para eu ler. Irá ficar em absoluto sigilo se você mandar.
    Meu e-mail: juniorcunha.email@gmail.com

    ResponderExcluir

Suicidas, livro de R. Montes - Em breve

Gêneros Literários - Romance Policial

 
©2007 LF Por Blog do Leandro